Monday, August 31, 2015

A Inexpugnável Hombridade e Coragem dos Franceses

Once again, the French are relying on Americans and Brits to protect them from murderous fascists. Plus ça change: they leave it to Americans and Brits to protect them from murderous fascists. Boy, am I glad I’m not a Frenchman. Last week’s dramatic incident on board a Paris-bound train, in which a terrorist atrocity was narrowly averted by a group of heroic passengers, is a stain on French manhood to rival the Battle of Agincourt. I’m not referring to the incompetence of the French security services, who seem unable to stop terrorists roaming the country, shooting people at will. I’m talking about the response of the French men on the train when they became aware that a crazy-looking Middle Eastern man was stalking the carriages, armed with an assault rifle. The vast majority hid under their seats. Almost the only French nationals to react at all were employees of the Thalys railway company, who, according to one witness (whose account is denied by Thalys), ran from the gunman as fast as they could and locked themselves in an office at the other end of the train.

Roberto Ellery vs. Luciano Coutinho: A Verdade Sobre o BNDES

Em contabilidade nacional, siênçia predileta de Asno Augustin, aprendemos a comparar alhos com bugalhos e os bugalhos sempre vencem e deficits se transformam em superávits. Mas em economia não há como comparar um economista excelente como Roberto Ellery e um campineiro como Luciano Coutinho, economista de porta de cadeia que hoje opera para o PT como seu José Serra oficial e já operou até para o governo Sarney. Ellery e Felippe Hermes listam os inúmeros problemas da caixa preta do BNDES que em qualquer país sério do mundo levariam sua diretoria diretamente para a cadeia. Mas como sói acontecer na selva, a mesma diretoria retruca como se tivesse a mínima, a mais remota, um milionésimo de um pingo de razão. Ellery e Hermes então a demolem mais uma vez, sem dó nem piedade.

Sartre, o Idiota Inútil, Konstantin Simonov e a Campanha de Stalin Contra o Cosmopolitanismo

Sartre era um comunista domesticado e dedicado. Sua função social era operar travestido de intelectual pela causa e pelo partido. Alcançou notoriedade durante a ocupação nazista da França, onde suas peças eram apresentadas com sucesso e seus artigos de jornal lidos e comentados. Ele ainda encontrou tempo na esbórnia permanente para escrever um catatau de jabá filosófico, O Ser e o Nada, festejado entre seus patrões nazistas por tocar a única corda do berimbau do ideólogo do partido de Hitler, Martin Heidegger.  

Sua fama meteórica ao redor do mundo se explica por dois fatores, o primeiro é a hegemonia da esquerda nas redações de jornal, cuja propaganda, mentiras, e lavagem cerebral são usados como instrumentos para promover seus agentes e sua agenda. O Segundo é o fim da segunda guerra mundial e o esforço desesperado dos aliados e do governo francês para fingir que a França fez alguma coisa útil - além de queijo minas com fungos - durante a Guerra. Por isso criaram o mito de uma resistência francesa no qual alguns bebuns que passaram a guerra frequentando cafés e cabarés foram alçados a categoria de heróis de Guerra, entre eles Sartre.

Sartre saiu do armário durante a Guerra fria, assumindo a militância comunista elegendo como bandeira de luta os crimes contra a  humanidade perpetrados pelo imperialismo Americano. Fazia turismo ideológico, visitando, defendendo e promovendo regimes comunistas e seus assassinos como Che Guevara [que ele chamou de o ser humano mais completo], Mao e Andreas Baader [terrorista alemão do RAF, vulgo Baader-Meinhof].


No fim de 1948 Stalin criou a campanha de anti-cosmopolitanismo. Cosmopolitanismo era sinônimo de judeu na URSS de Stalin.  Essa campanha foi desenhada para destruir os judeus que pululavam na inteligência soviética, seus escritores, teatrólogos, críticos literários. No início de 1949, o poeta oficial do regime Konstantin Simonov, depois de um telefonema de Stalin, atacou numa série de artigos os intelectuais judeus e suas influências estrangeiras, entre elas Jean Paul Sartre. Ele os acusou de querer substituir Maximo Gorky por Sartre. Sartre obviamente silenciou. Como bom militante e idiota inútil que era, Sartre dava primazia as necessidades do partido, da suposta coletividade, sobre o indivíduo, até sobre si mesmo. É ocioso dizer que Sartre e Simonov eram grandes camaradas.


Saturday, August 29, 2015

Craque Beckembauer Rivelino Passa um Bolão para Janot Matar no Peito

Num país de canalhas, a bola come solta. No time da bandidagem, o PT, jogam o craque Beckembauer Rivelino e o artilheiro Rodrigo Janot, eles estão goleando o Brasil: 20 milhões a zero.

Brasil, o Maior Produtor Mundial de Sacis

Essa campanha de achincalhamento da selva tem que parar. Há inúmeras coisas para se orgulhar do Brasil, uma delas é que além de catuaba e jabuticabas, produzimos Sacis Pererês: Empresário diz que cria 17 casais de sacis em sítio: 'Eles aprontam muito'. Edson Wagner é integrante da Associação Nacional dos Criadores de Saci.

Tentativa de Assassinato do Boneco Lula Pixuleco

A petralhada está em polvorosa. Não contém seu desespero, medo e ódio. Temem perder as boquetes que fazem aparelhando o estado, sugando-o com frenezi ninfomaníaco. Temem acompanhar seus heróis numa merecida temporada na cadeia. Se antes odiavam quem trabalha, paga impostos e prospera, porque deles obtém seu sustento, agora não se refreiam em odiar ainda mais. Um exemplo é o ataque a faca, uma verdadeira tentativa de assassinato, ao boneco de Lula 171, o pixuleco, a versão inflável do vazio ético, do descalabro público, da bandidagem que caracteriza o PT.

O Nordeste, Esperança do Brasil

O que seria do Brasil sem o Nordeste? Região que nos deu Sarney, Collor e Lula e que elegeu com esmagadora maioria Dilma? Parece que, subitamente, alguma coisa deu errada. Secaram as torneiras de dinheiro público extraído do suor dos pagadores de impostos? O estado de bem estar social que mantém os nordestinos em perpétua miséria parece que não está mais distribuindo as amadas benesses e os nordestinos de uma hora para outra, ingratos que são, abandonam Dilma a própria sorte. Não querem os créditos e muito menos compartilhar com ela os enormes fracassos de seu desgoverno.

Friday, August 28, 2015

Pastore Pupilo de Delfim se Volta Contra o Mestre

Affonso Pastore era o braço esquerdo de Delfim em seu segundo mandarinato na economia brasileira na primeira metade da década de oitenta. Os dois fizeram um trabalho histórico, comparável ao do Estado Islâmico, pois implodiram as ruínas construídas pelo planejador central da ditadura, o festejado socialista Mario Henrique Simonsen. De quebra, para não deixar barato, legaram a hiperinflação que tiranizou a vida dos brasileiros por mais uma década. Pastore chegou ao poder com fama de craque e ninguém sabe direito porque, talvez porque seu primeiro nome tenha dois fs, ou porque seja mais um dos inúmeros jênios da economia da USP. Finalmente parece que ele se apercebeu que seu velho mestre Delfim só fala merda e os dois trocaram farpas num desses congressos de energúmenos: Pastore interviu antes da réplica de Pessoa e disse que a discussão tem que ser empírica, tem que olhar as experiências da Coreia do Sul, do Chile, do Peru. Ele afirmou que Delfim era um fabiano, um intervencionista. Só que o intervencionismo não dá certo no Brasil como na Coreia, afirmou ele. Pastore também disse que não há dicotomia entre distribuição de renda e crescimento e que esse é um falso debate no Brasil – tanto que Peru e Chile teriam conseguido aliar as duas coisas em determinados momentos da história recente. Só que ao final Pastore afirmou que um país que passa dos limites de gastos não consegue isso e que o jeito certo de construir a política econômica se aproximava muito mais do que estava falando Pessoa do que com o que dizia Delfim. O ex-ministro disse então que partindo de hipóteses erradas, era possível provar qualquer coisa. Pastore retrucou que era possível provar inclusive as teses do Delfim. A plateia caiu em gargalhadas.

Fiesp, o Quartel General do Lulo-Petismo

A Fiesp é o sindicato dos empresários de porta de cadeia. Sua função social consiste em fazer lobby junto ao governo para criar reservas de mercado, minimizar a concorrência e garantir rendas de quem não gosta de trabalhar e de empreender. É uma das forças mais retrógradas do Brasil, por isso opera hoje para o PT. Ela tenta salvar a corrupção e incapacidade do governo Dilma pedindo a cabeça pequena, camarão-like, do bancário Levy. Se tivesse um pingo de vergonha na cara a Fiesp pediria o impeachment da gerentona autoritária, burra e incompetente.

Sobre Orwell e o Assassinato de Caráter Promovido Pela Esquerda

Demétrio Magnoli é o único intelectual de esquerda do Brasil que é de fato um intelectual: sabe ler, escrever e articular idéias. Escreve um texto primoroso sobre George Orwell e a tática de difamação, de assassinato de caráter, tão comum e cara aos gorilas comunistas que combatem na guerrilha cultural travestidos de jornalistas, historiadores ou intelectuais: A difamação de Orwell ganhou tração no pós-guerra, logo após sua morte, por iniciativa do Grupo de Historiadores do Partido Comunista Britânico, que contava com figuras como Maurice Dobb, Cristopher Hill, Eric Hobsbawm e Edward P. Thompson. Eles não o perdoavam pela sua crítica implacável aos intelectuais de esquerda que, colocando um sinal de igual entre democracia e fascismo, tinham oferecido suporte ao Pacto Germano-Soviético de 1939. A operação difamatória funcionava menos como vingança e mais como uma queima de arquivo. Nas vésperas da guerra, os intelectuais comunistas britânicos distribuíram panfletos celebrando a aliança entre Stalin e Hitler. Crismar Orwell com a marca do traidor era um expediente destinado a incinerar os textos perigosos, lavando as reputações dos “amigos do povo”. Thompson, em especial, consagrou-se à missão purificadora. Aproveitando-se da circunstância de que um homem morto não pode retrucar, recorreu simplesmente à mentira, acusando-o de ser “obsessivamente” sensível à “menor insinceridade” da esquerda, mas surdo e cego à “desumanidade da direita”. A ideia era relegar o alvo ao esquecimento, o exílio mais pesado para um escritor. No fim, Orwell triunfou. É bem certo que os porcos ainda estão entre nós — continuam a se confundir com os humanos e, inclusive, se multiplicaram. Entretanto, a condenação ao exílio não funcionou. “A revolução dos bichos”, recusada por diversos editores britânicos e americanos que se curvavam aos interditos da esquerda oficial, converteu-se numa das obras definidoras do século XX. É uma obra especial, capaz de encantar uma criança de 11 anos que nunca ouvira falar da Revolução Russa, de Stalin, dos Processos de Moscou, da Guerra Civil Espanhola e de toda essa pilha de cadáveres insepultos nos campos de guerra das utopias ideológicas.

Thursday, August 27, 2015

Jeremy Corbyn, o Novo Socialismo Britânico de 100 anos

O socialismo é uma ideologia estranha, quanto mais falha, quanto mais miséria produz, mais fascina e convence. No Reino Unido, onde suas políticas devastaram uma potência mundial, transformando-a num país ordinário, ele revive na figura de Jeremy Corbyn, o favorito para ser eleito líder do partido trabalhista. Vejam algumas das idéias idiotas de Corbyn que por isso mesmo lhe dão popularidade e o tornam o favorito dos jornalistas, economistas de porta de cadeia e demais boçais chamados intelectuais.

Por Que o Brasil Está Falido?

Inchado, setor público paga salário maior que setor privado, diz IBGE.

Onde os Corruptos Brasileiros Investem e Para Onde Fogem?

A Florida ultrapassou Paris na preferência da bandidagem Brazuca. Depois de pilharem o Brasil na era Lula, a bandidagem foge as pressas para gastar o butim na Florida. A selva é o único país no universo que tem juiz aposentado milionário.

Wednesday, August 26, 2015

O Colapso do Mercado Imobiliário e o Poço sem Fundo da Economia Brasileira

Tecla que o SB, o Adolfo Sachsida e alguns outros economistas tocamos por muito tempo: a bolha do Mercado imobiliário explodiu. Não vai sobrar país depois do PT, Dilma e Lula.

Monday, August 24, 2015

Merquior Segundo Olavo de Carvalho

Ontem fizemos um link para um artigo sobre Merquior na Folha. Hoje Olavo de Carvalho posta suas respostas as perguntas do jornalista que escreveu o artigo sobre Merquior, mas não o citou apropriadamente [que surpresa!?]. Olavo como de costume vai direto e certeiro ao alvo: "O verdadeiro ponto fraco do Merquior, do ponto de vista político, foi que, rompendo ideologicamente com a esquerda, ele continuou psicologicamente dependente de seus antigos companheiros de esquerdismo, aos quais cortejava com delicadezas de namorado enquanto eles o achincalhavam e difamavam. Ele queria convencê-los, não vencê-los, enquanto eles só queriam destrui-lo. Ele nunca percebeu a diferença."

A Implosão do Modelo Mercantilista Chinês

A China é uma merda absoluta, incomparável, gigantesca. Sua mais do que esperada e tardia implosão está apenas começando. Dependendo da sua velocidade e magnitude a resposta elementar do partido comunista será aumentar a repressão interna e criar conflitos e guerras com os vizinhos.

Parem de Sacanear o Piauí! Ele Não Precisa do seu Despeito

Juiz investigado no Piauí por desaparecer com processo em que ele próprio era investigado.

O Bancário Otário se Fodeu MERECIDAMENTE de Green & Gold

CQD: Havíamos previsto o óbvio, que o "neoliberal tucano" Levy levaria a culpa pelas merdas do governo Dilma, eis aí: Planato e PMDB atribuem desgaste a Levy.

Sunday, August 23, 2015

Merquior, um Retrato de um Verdadeiro Intelectual

O Brasil é um país onde energúmenos que não sabem ler, pensar e escrever são chamados de intelectuais. José Guilherme Merquior foi uma honrosa exceção. Ele leu tudo de importante havia para ler, fazendo Raymond Aron exclamar “esse menino leu tudo!”. Ele escrevia com clareza e veneno, primeiro expunha a idéia em consideração e depois dava uma cipoada nela e no seu autor. Diante do enciclopedismo e ausência de interlocutores inteligentes na selva, seu pensamento evoluiu gradativamente saindo das litanias pautadas pelo esquerdismo na juventude para a compreensão mais bem fundada de que o irracionalismo, a matéria e produto intelectual das esquerdas, é o grande inimigo a ser combatido na guerra cultural. Por incrível que pareça a sempre consistentemente horrorosa ilustrada da Folha de São Paulo publica um artigo informativo sobre Merquior, vale a leitura.

Foucault, o Santo Devasso do Pau Oco e Ereto

Artigo classico de Roger Kimball sobre Foucault, operador comunista do Collège de France, pervertido que assassinou inúmeros parceiros gays transmitindo AIDS: Foucault, who died of AIDS in June 1984 at the age of fifty-seven, has long been a darling of the same super-chic academic crowd that fell for deconstruction, Jacques Derrida, and other aging French imports. But where the deconstructionists specialize in the fruity idea that language refers only to itself (il n’y a pas de hors texte, in Derrida’s now-famous phrase), Foucault’s focus was Power. He came bearing the bad news in bad prose that every institution, no matter how benign it seems, is “really” a scene of unspeakable domination and subjugation; that efforts at enlightened reform—of asylums, of prisons, of society at large—have been little more than alibis for extending state power; that human relationships are, underneath it all, deadly struggles for mastery; that truth itself is merely a coefficient of coercion; &c., &c. “Is it surprising,” Foucault asked in Surveiller et punir (English translation: Discipline and Punish, 1977), “that prisons resemble factories, schools, barracks, hospitals, which all resemble prisons?” Such “interrogations” were a terrific hit in the graduate seminar, of course. And Miller may well be right in claiming that by the time of his death Foucault was “perhaps the single most famous intellectual in the world”—famous, at least, in American universities, where hermetic arguments about sex and power are pursued with risible fecklessness by the hirsute and untidy. In all this, Foucault resembled his more talented rival and fellow left-wing activist, Jean-Paul Sartre, whose stunning career Foucault did everything he could to emulate, beginning with a stint in the French Communist Party in the early 1950s. He never quite managed it—he never wrote anything as original or philosophically significant as Being and Nothingness, never had the public authority that Sartre, alas, enjoyed in the postwar years. Yet he had eminent and devoted cheerleaders, including such well-known figures as the historian Paul Veyne, his colleague at the Collège de France, who declared Foucault “the most important event in the thought of our century.” 

Be that as it may, he remains an unlikely candidate for canonization. But the very title of this new biography—The Passion of Michel Foucault[1]—puts readers on notice that, in Mr. Miller’s opinion, anyway, his subject presents us with a life of such exemplary, self-sacrificing virtue that it bears comparison with the Passion of Jesus Christ. (...)

But as the French journalist Didier Eribon has shown in an earlier biography (and as Miller unwittingly shows in his own), arrogance and mystification were two hallmarks of Foucault’s character and writing.[2] Eribon notes that at school, where Goya’s horrific etchings of the victims of war decorated his walls, Foucault was “almost universally detested.” Schoolmates remember him as brilliant, but also aloof, sarcastic, and cruel. He several times attempted—and more often threatened—suicide. Self-destruction, in fact, was another of Foucault’s obsessions, and Miller is right to underscore Foucault’s fascination with death. In this, as in so much else, he followed the lead of the Marquis de Sade, who had long been one of his prime intellectual and moral heroes. (Though, as Miller notes, Foucault felt that Sade “had not gone far enough,” since, unaccountably, he continued to see the body as “strongly organic.”) Foucault came to enjoy imagining “suicide festivals” or “orgies” in which sex and death would mingle in the ultimate anonymous encounter. Those planning suicide, he mused, could look “for partners without names, for occasions to die liberated from every identity.”

Toda Vez que o Brasil se Fode, Eu Ganho, Diz o Caixa e CEO do Itaú Unibanco

Por isso o elemento faz uma defesa apaixonada de Dilma, e da corrupção petista, em que seu banco chafurda e lucra.

Alo Janot! Surdo, Cego e Incompetente: Evidência #453 221 749 856 de Que a Corrupção Pagou as Campanhas de Dilma, Lula e do PT

O advogado de Carlos Cortegoso, entrevistado por Andréia Sadi, da Folha de S. Paulo, admitiu candidamente que o dinheiro roubado do Ministério do Planejamento de fato abasteceu as campanhas do PT.

Saturday, August 22, 2015

Os Efeitos Nocivos do Uso Prolongado de Drogas Pesadas

A cocaína é uma droga, mas uma droga muito mais pesada, estultificante e nociva é o comunismo: Narcoditador Evo Morales ameaça intervir no Brasil caso Dilma Rousseff seja deposta.

Janot, o Janota Age Errado

Janot é o principal operador do PT no ministério público. Sua função social é proteger Lula, Dilma e toda a canalha e bandalheira do PT. Sabotou a Lava Jato acusando Eduardo Cunha de ser o cabeça da roubalheira na Petrobras. Em qualquer país minimamente sério e com vergonha na cara esse elemento seria escorraçado do poder e responderia judicialmente por seus atos. Na selva ele se associa ao jagunço alagoano Renan Calheiros, profundamente envolvido na pilhagem da estatal do pré-sal, para permanecer no cargo. Mas Janot corre o risco de ser atropelado pelos fatos, pela realidade e ser obrigado a trabalhar a contragosto: Agora Janot tem de investigar Dilma. Ao jogar Dilma Rousseff na Lava Jato, Gilmar Mendes atropelou Rodrigo Janot. Até agora, o Procurador-Geral da República havia poupado Dilma Rousseff, hesitando em abrir um inquérito contra ela. Acabou. A partir de hoje, ele tem de investigar.

Mais uma Derrota do Sapo Barbudo Bandido na Justiça

Conselho do MP arquiva reclamação de Lula contra procurador.

Friday, August 21, 2015

A Prefeitinha Periguete Bandida

Tudo o que vem do Maranhão, a senzala dos Sarney, é grotesco, ridículo, bizarro e absurdo. Para variar mais um politico corrupto, a prefeitinha periguete bandida. Pode-se argumentar que o povo maranhense vota nesses políticos refletindo suas preferências pela corrupção e descaso com a coisa pública. Se o Maranhão não sugasse o dinheiro do pagador de impostos dos outros estados e vivesse com recursos proprios, essa bandalha acabaria rapidamente, pois aí o eleitor maranhense teria incentivo para fiscalizar seus politicos e votar em gente honesta [se é que os há naquela selva de babaçu].
 
 Vou pra balada rebolar na garrafinha cheia de dinheiro público

Juiz Bota no Rabicozinho Imundo de Lula

Lula processou o comediante Danilo Gentili e o juiz Carlos Eduardo Lora Franco detonou a tentativa de censura do sapo barbudo bandido: "Nem se faz necessário, mais, observar que o Brasil vive um momento de patrulhamento sem precedentes, e que o Poder Judiciário deve estar atento a não se transformar, especialmente através de ações penais privadas, em forma de pressão e intimidação de poderosos contra quem deles diverge ou os incomoda."

Wednesday, August 19, 2015

O STF é um Tribunal de Vagabundos Preguiçosos e Incompetentes

STF arquiva ação penal contra senador Jader Barbalho.

Histrião, Burro, ou Simplesmente Incompetente?

Levy diz que socorro de Caixa e BB ao setor automotivo não compromete ajuste fiscal Bancos estatais vão oferecer R$ 8 bi em crédito com condições especiais, e ministro da Fazenda diz que são 'arranjos comerciais'.

A Gulosa e Insaciável Primeira Dama Mineira

É notável a paixão da primeira dama mineira pela boneca que cospe dinheiro público. A ninfo das Alterosas parece ser tão voraz que espremeu a boneca até a última gota: A CPI do BNDES deve quebrar os sigilos telefônico, fiscal e bancário da Pepper. O requerimento, segundo a Época, foi apresentado pelo deputado federal Arnaldo Jordy, do PPS. "O pedido foi feito com base em informações de que a agência recebeu dinheiro do banco estatal por prestação de serviços e o repassou para a empresa de Carolina Oliveira, mulher do governador mineiro Fernando Pimentel, do PT".

Alkmin e o Tucanato Paulista Socorrem o PT Novamente

Governo de SP declara oficialmente crise hidrica.

Tuesday, August 18, 2015

Bené, Bridge, Bro e o Faceiro Mineirinho mais Mineiro de Minas Gerais

Suspeito de ser o operador do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), o empresário Benedito de Oliveira Neto, o Bené, usou suas empresas de fachada para receber R$ 750 mil às vésperas da eleição do ano passado. Os pagamentos foram feitas pela Support Consultoria. Com endereço registrado em Luziânia, interior de Goiás, a Support é do empresário Elon Gomes. Ele é presidente do grupo Aliança, empresa de planos de saúde comprada pela Qualicorp em maio de 2012. O grupo Aliança é, desde o início de 2012, credenciada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio – Fernando Pimentel era o ministro.

Mendonça de Barros, Jênio da USP

Vintage Rodrigo Constantino dando uma merecida porrada nessa figura abjeta: Se Mendonça de Barros "finge que estava ciente da crise que nos assola hoje, chegando a escrever em sua coluna no Valor que fez apenas um “raciocínio simples e linear de um engenheiro formado pela Escola Politécnica”, talvez precise ver um médico para checar a perda de memória. Temo pelo risco de Alzheimer, e espero estar enganado. O leitor pode verificar em inúmeros artigos de Mendonça de Barros publicados no mesmo Valor ou na Folha ao longo dos últimos anos que seu otimismo com a economia era impressionante, contagiante até. Mas posar de clarividente que enxergou o estouro da bolha de consumo e, por isso, a mudança do jogo político e até o fim do lulopetismo, aí já é demais da conta!"

O Palhaço Petista que Faz Você de Palhaço

PALHAÇO PRESO EM CASCAVEL RECEBEU R$ 333.500,00 DO GOVERNO FEDERAL. Dinheiro foi destinado à montagem de um espetáculo circense. Leonides defende Dilma no Facebook e ataca opositores ao governo.

Paraíba 101

Como novo comandante da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), o ex-prefeito do Recife João Paulo (PT) terá à sua disposição 101 cargos comissionados distribuídos pelos vários departamentos da autarquia.

Friday, August 14, 2015

O Turco-Fenício dos Sarney

Não existe quadrilha no Brasil que não tenha um operador turco-fenício. Habituados ao kibe das verbas públicas eles são gulosos, insaciáveis. Eles são responsáveis pelos golpes mais mirabolantes. Vejam o caso da quadrilha mais famosa do Brasil que assalta o Maranhão há mais de meio século: O juiz federal José Carlos do Vale Madeira determinou nesta quinta-feira a quebra dos sigilos fiscal e bancário e o bloqueio de 17,5 milhões de reais em bens do ex-secretário de Saúde do Maranhão Ricardo Murad, cunhado da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), além de outras onze pessoas e uma empresa suspeitas de desviar mais de 8 milhões de reais em verbas para a construção de unidades de saúde durante o governo da peemedebista. Em ação de improbidade administrativa, o Ministério Público Federal atribui a Murad e aos outros investigados irregularidades como o pagamento para elaboração de projetos já existentes e a execução e pagamento por serviços antes mesmo da abertura de licitação.

Toda República de Banana Tem o Delfim que Merece

Economista de 26 anos é nomeada diretora do maior banco da Argentina. María Delfina Rossi é filha do ministro de Defesa argentino. Rossi se define como 'feminista, ecologista e de esquerda'.

Vital e sua Moto Botam no Rego do Brasil

Quanto o paraíba ta levando para botar no tCU do Brasil? Manobra no TCU pode rever decisão sobre ‘pedaladas’ e aliviar julgamento das contas de Dilma

Wednesday, August 12, 2015

Resumo do Livro de Roger Scruton Como Ser um Conservador

Resumo do livro de Roger Scruton Como Ser um Conservador, escrito por Lucas Berlanza, publicado no Instituto Liberal e reproduzido no Blog do Rodrigo Constantino.

O Antagonista Escorraça Elio Gaspari

Elio Gaspari escreve que “bater panela ou ir para a rua pedindo que Dilma vá embora pode fazer bem à alma, até porque o instrumento do impeachment está previsto na Constituição”. Mas o “inimigo comum”, segundo ele, não é Dilma Rousseff, e sim “o Erário”, representado por Eduardo Cunha, com “apoio tácito” do PSDB. Uma ova, Elio Gaspari. Em primeiro lugar, pare de tratar os manifestantes com esse tom condescendente, como se eles fossem uns desavisados, uns inocentes úteis, uns idiotas. Ninguém aqui protesta porque “faz bem à alma”. Protestamos e pedimos o impeachment porque Dilma Rousseff e seus comparsas corromperam a democracia, elegendo-se e governando com 19 bilhões de reais roubados da Petrobras. O inimigo comum é o petismo. Em segundo lugar, se “o Erário” está falido, a responsabilidade é da própria Dilma Rousseff. No post anterior, perguntamos se Lula ainda consegue enganar alguém, fazendo de conta que Dilma Rousseff acabou de assumir o mandato. Aparentemente, Lula ainda consegue enganar Elio Gaspari. Em terceiro lugar, o impeachment talvez não resolva todos os problemas com “o Erário” criados por Dilma Rousseff nos últimos quatro anos e meio. Mas sua permanência no Palácio do Planalto certamente vai afundar o país de uma vez por todas.

Nelson Barbosa e o Sucesso do Fracasso

Nelson Barbosa é um petista de sucesso. Ele é um dos pais da nova matriz econômica, programa do governo Dilma que destruiu a economia brasileira. Tudo o que Barbosa faz, diz e acredita está destinado ao fracasso, não corre o mínimo risco de dar certo: Agência de classificação de risco Moody's rebaixou a nota de crédito brasileira. "Brasil não perde investimentos com corte", diz Barbosa.

Monday, August 10, 2015

Graduado da USP Vira Ex-Comuno-Petista

Quando Lula foi eleito, uma porrada de comunistas fantasiados de economistas revelaram suas preferências. Passaram alguns anos encantados com o socialismo bolivariano de Lula e zédirceu. Inventaram mitos de eliminação da miséria, de crescimento sustentável, e sorveram consultorias sérias invariavelmente concluindo com elogios ao governo, etc. Mas o tempo passou e o lulo-petismo revelou o que é e sempre foi: um projeto autoritário que assalta e destrói o país. É hora, portanto, de pular fora. Vejam este exemplo de um graduado da USP que como todo graduado da USP que se preze se acha gênio e escreve artigos de jornal com o braço esquerdo de Palhocci.

Clarín News Revela os Bastidores do Acordo da Globo com o PT

O clima da reunião com João Roberto Marinho foi tenso e com ar de temeridade tal qual uma reunião que se dava com os membros do grupo do falecido traficante colombiano Pablo Escobar. Recados dos senadores petistas que foram dados a ele: 1) não mexam com Lula (grifo da redação)...todos estavam ainda muito mordidos com a charge do Chico do dia anterior (“agora só falta você”), pois o Brasil pode pegar fogo e eles não vão ser bombeiros; na mesma direção, não temos controle sobre nossa base social e é imprevisível a reação que se virá ante uma hipotética prisão de Lula. 2) Se quiserem continuar a serem os primeiros no Ibope e na verba publicitária... mude o tom, instrua seus editores-chefes, lembre-se da dívida da sua Globo... Ao que o chefe da Globo até pediu desculpas, “ou os senhores estão enganados, ou nós estamos errando feio”, comprometendo-se a levar a avaliação geral dos senadores para os editores.

Sunday, August 9, 2015

FGV-SP: A Escolinha de Economia do Professor Bresser-Pereira

São Paulo é famosa por ser o túmulo do samba. Poucos sabem que é também a fossa, o gigantesco sumidouro da teoria econômica. Suas escolas de economia formaram e reúnem uma seleta lista dos piores economistas que a humanidade excretou. A trinca maldita Unicamp-USP-FGVsp nos deu Beluzo, Delfim e Bresser-Pereira. Com essa linha de ataque não há país que sobreviva. Para piorar a situação eles convocaram o baiano internacional Mangabeira Unger para se juntar ao time de exterminadores do futuro para "repensar" o Brasil varonil.

Tubaína de 51

Xavantes tomam refrigerantes em seus rituais em Mato Grosso.

Friday, August 7, 2015

A Escolinha Marcio Thomas Bastos de AdEvocacia

Marcio Thomas Bastos [MTB] era um petista de escol, operava como adEvogado e muitos acreditam que sua especialidade era lavar o dinheiro de seus clientes. Supõem que o esquema era simples, ele topava defender um corrupto, cobrava um percentual sobre o dinheiro público roubado geralmente escondido num paraíso fiscal. Curiosamente nunca ninguém se perguntou porque MTB cobrava milhões de dólares ganhando por caso muito mais do que qualquer grande adEvogado internacional. Mais interessante ainda, o corrupto defendido por MTB sempre pagava a conta milionária feliz da vida, mesmo quando perdia o caso. Ora, desconfiam que isso ocorria porque no fim do processo o corrupto recebia um pequeno percentual do que havia pago a MTB, só que dessa vez o dinheiro estava limpo, legal. Isso explica a incomensurável fortuna pessoal que MTB deixou após a sua morte. Montante de dinheiro que causou inveja, fazendo salivar seus companheiros do PT, que fingiam surpesa, pretendendo não saber explicar como ele tinha amealhado tanta riqueza. MTB se tornou um ídolo em sindicatos criminais afiliados ao PT, como a OAB. Entre os melhores alunos de sua escolinha de jurisconsultos está Kakay, a nova coqueluche da bandidagem brasileira que cobra verdadeiras fortunas para perder todos os casos. Surpreendentemente Marcelinho Odebrecht, menino mimado, sapeca e bandido, chutou sua adEvogada, aprendiz e sócia de MTB. Certamente isso se deve a certeza de que não há impunidade diante da impossibilidade de subornar o juiz Moro. Talvez Marcelino tenha percebido que agora não é hora de brincar de justiça brasileira aplicando os ensinamentos e metodologia de MTB para lidar com juizes de porta de cadeia como balinha Tofoli, muito menos é hora de limpar dinheiro. Talvez Marcelinho queira garantir seus direitos e minimizar sua pena.